Aconteceu

Socorro Acioli - AutoraSocorro Acioli - Autora

Socorro Acioli - Autora
Faço o possível para vir à FELISB. É uma oportunidade única para o autor manter contato com as crianças. Não tive essa oportunidade como eles."

Mauricio VenezaMauricio Veneza
Maurício Veneza, ilustrador.
"'Não se começa uma casa pelo telhado. O caminho para Cervantes e Shakespeare passa pelo Sítio do Pica Pau Amarelo.” 

Elizabeth TeixeiraElizabeth Teixeira
Elisabeth Teixeira - ilustradora.
“Desse contato com tantos livros, as crianças se sentem estimuladas a ler. Só que mais importante é ter o exemplo em casa, ela só toma a leitura como hábito ao se espelhar nos pais.” 

Tino FreitasTino Freitas

Tino Freitas publicou seu primeiro livro em 2009, de lá até a Felisb já foram lançadas outras dez obras e ele foi finalista duas vezes do Jabuti (importante prêmio literário brasileiro), inclusive agora em 2013.

Na feira, Tino deu show com as crianças. Além de escritor, ele é músico e mediador de leitura. Natural de Fortaleza, vive em Brasília onde desenvolve um projeto chamado Roedores de Livros, que faz mediação de leitura, daí vem a experiência que ele demonstrou para conquistar uma platéia. “Mas sempre tomo cuidado para não aparecer mais que o livro. Esse é o papel do mediador: fazer com que leitura chegue bem para o livro. É diferente de uma performance, que um artista faz, conta a história, usa elementos para isso e, quando vai embora, deixa nas crianças a impressão de que aquela história legal foi junto com ele. Com a mediação, o livro e a história legal ficam para que as crianças possam curtir cada vez mais.”

Elisabeth TeixeiraElisabeth Teixeira

Elisabeth Teixeira, carioca, é ilustradora desde 1990. Já trabalhou em cerca de 120 livros. Ganhou três prêmios Jabuti (um dos mais importantes da literatura brasileira) por seus desenhos nos livros Brincando Adivinhas, O Lobo e Carmela vai à Aula.

Ela esteve na Felisb e conversou com alunos de ensino fundamental da rede pública de São Bernardo. Foi direto ao assunto: “A ilustração estimula a leitura, é um fator de atração e sedução. Em todo livro infantil o que impacta é a imagem, depois é que a criança entra no texto. O ilustrador conta com suas ilustrações uma versão da história que o escritor escreveu”.

Patricia AuerbachPatricia Auerbach

Patrícia Auerbach – Autora e ilustradora.
“Devemos quebrar a ideia de o livro ser tratado como objeto intangível. Ele deve ser acessível a todas as classes sócias e ser liberto do estigma de que livro é algo feito apenas para intelectuais”.

FELISBFELISB

Pamela Pereira de Assis Bonfim de Querioz, professora de EJA (Educação de Jovens e Adultos) da escola Olegário José Godoy, no bairro Montanhão em São Bernardo.
“A feira é ótima. Assim que fiquei sabendo, vim comprar livros. É uma ótima filosofia essa de que as escolas precisam de acervo. A leitura faz com que as pessoas reflitam melhor sobre ávida e dá conhecimento de mundo.”

yolanda reyes

Convidada internacional da Felisb, a jornalista e escritora Yolanda Reyes veio do país homenageado nesta edição da feira: Colômbia. Ela compareceu apostando na grande experiência da FNLIJ. “Nem sabia que seria em São Bernardo, mas sabia que se a organização era da FNLIJ, era boa.”

GuazelliGuazelli

Eloar Guazzelli é um profissional de sucesso. Aliás, um multiprofissional: ele é ilustrador, diretor de arte de desenhos animados, roteirista, faz histórias em quadrinhos, é pesquisador e professor universitário. Mas na Felisb, o pessoal estava interessado era na faceta de ilustrador de cerca de 65 livros infantis, ao longo de 32 anos de carreira. “Profissionalmente comecei a desenhar com 18 anos de idade, mas desenho desde que me lembro como gente. Já desenhei até com pó de café. Quando eu era pequeno adorava desenhar cidades e a Guerra de Tróia. Sempre colocava um homem levando uma pasta nos meus desenhos, acho que era meu pai.” 

rosinha

Todo mundo conhece ela por Rosinha. O nome completo é Rosangela Maria de Queiroz. Mas as ilustrações traços que dão vida para cerca de 80 livros já publicados são assinados como Rosinha mesmo. “Comecei ilustrando para outros autores e, a partir de 2007, passei a escrever meus próprios livros.” 

Na Felisb, ela foi mais do que autora e ilustradora convidada. Ela ajudou a mediar o contato entre os colegas de profissão e os alunos, professores e público. Ela cumpriu a tarefa animada, pois vê o evento como algo de muito bom para a cidade que a transformou em lei.

Caco Galhardo trabalha desde 1996 na Folha de São Paulo produzindo tiras diárias e ilustrações de personagens que se tornaram famosas entre leitores do jornal como os Pescoçudos, Lili, Chico Bacon, Pequeno Pônei, entre outros.
Caco GalhardoCaco Galhardo

Mais ligado à produção para público adulto, o cartunista e quadrinista esteve na Felisb para falar com fãs sobre uma adaptação para história em quadrinhos que fez do clássico Don Quixote. “Adaptações de clássicos para quadrinhos são um portal para a obra. Você não pode ver o quadrinho e achar que sabe algo do livro original. O quadrinho é um convite para conhecer melhor a obra”, explicou. Ele já prepara o lançamento de uma segunda parte. “Esse Quixote foi feito há 10 anos, o traço era mais duro. Breve sairá a continuação”.

AyssaAyssa
Ayssa, artista plástica.
É um presente participar da FELISB, pois, percebo a importância de estar em contato com as crianças pelo fato de ter sido professora.

Caco GalhardoCaco Galhardo

Caco Galhardo - cartunista
"Sou entusiasta de todo evento literário, gosto que isso aconteça. Literatura dá tudo: Toda filosofia e humanidade. Trazer o escritor para um evento deste e ter gente para vê-lo traz lições incríveis".

Caio RiterCaio Riter

Caio Riter – Autor
“Devemos chamar mais a atenção para o livro, o qual pode ser a salvação social e até mesmo física para alguns problemas sociais”.

Pagina 5 de 6